O conceito de BENU VILLAGE – a primeira ecoaldeia do Luxemburgo, mais precisamente, na fronteira de Esch – surgiu em 2015 e promove uma economia circular socioecológica. Os profissionais podem alugar espaços na aldeia e desenvolver a sua atividade, desde que ela se adeque à carta BENU, que se baseia em valores de transparência, responsabilidade social, produção local e excelência ecológica.

Por enquanto, a Aldeia BENU ainda está no começo. Prevê-se que nela se instalem uma empresa especializada no upcycling de roupa design, uma plataforma de venda para o upcycling artístico social e um restaurante antidesperdício. O primeiro restaurante antidesperdício no Luxemburgo destaca a alimentação local bio e, claro, o combate ao desperdício dos géneros alimentares. O objetivo é cozinhar exclusivamente com alimentos recuperados (rescued food) que nunca chegaram às prateleiras dos supermercados. Mesmo que cumpram as normas, os clientes não lhes ligam por motivos estéticos. O restaurante será inclusivo. O restaurante antidesperdício, que se encontra ainda em fase de desenvolvimento, será construído exclusivamente com a ajuda de materiais reciclados e abrirá portas no fim do ano.

Com todos os géneros alimentares produzidos todos os anos que não são consumidos nem pelas pessoas nem pelos animais, seria possível preparar três refeições por dia para cada habitante do planeta. Além disso, cada agregado familiar deita fora 100 kg de alimentos todos os anos. É absolutamente escandaloso. O restaurante BENU propõe uma alternativa ao preparar refeições de elevada qualidade para consciencializar as pessoas que é possível outra abordagem. " Georges Kieffer – Iniciador da Aldeia BENU