Juntos contra o desperdício alimentar

Um terço dos alimentos produzidos à escala mundial são desperdiçados!
Enquanto isso, cerca de mil milhões de pessoas no mundo inteiro continuam a ter fome. Perante estes factos, parece evidente que temos de agir.

Além da obrigação moral de atacar este flagelo, não nos podemos esquecer da dimensão ecológica do problema.

O desperdício alimentar equivale a quase um terço de todas as superfícies cultiváveis exploradas inutilmente, sem esquecer as grandes quantidades de água que são desperdiçadas. Esta pegada de água corresponde a 250 quilómetros cúbicos por ano, ou seja, três vezes o Lago Léman.

Em termos de emissões de CO2, as conclusões não são mais animadoras: 3,3 gigatoneladas de CO2 são rejeitadas na atmosfera, ou seja, o equivalente a 80% das emissões anuais de CO2 da China!

Não nos podemos abstrair destes números publicados pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Isto é ainda mais verdade quando sabemos que a população está a aumentar continuamente e que vamos chegar aos nove mil milhões de habitantes até 2050. O desafio passa por descobrir como alimentar a população mundial, preservando os recursos naturais de forma a não hipotecarmos o futuro das próximas gerações.

A que nível é que os alimentos são desperdiçados?

42%
são desperdiçados nas nossas casas, muitas vezes porque compramos quantidades excessivas, os alimentos são mal armazenados, as datas de validade são mal interpretadas e os restos alimentares não são reaproveitados.
39%
são desperdiçados no setor da produção devido ao excesso de produção, quando os produtos estão deteriorados ou deformados, e porque os subprodutos não são valorizados.
14%
são desperdiçados no setor da restauração devido às porções excessivas servidas (falta frequente de escolha em relação ao tamanho do prato) e porque os clientes não levam os restos das refeições.
5%
são desperdiçados no setor do comércio devido a normas estéticas, erros de embalagem e stocks excessivos.

Além da dimensão financeira e ecológica, cada um de nós tem uma obrigação ética de lutar contra o desperdício alimentar. O desafio passa por descobrir como alimentar a população mundial, preservando os recursos naturais de forma a não hipotecarmos o futuro das próximas gerações.

Neste contexto, o ministério da Agricultura, da Viticultura e do Desenvolvimento Rural decidiu dedicar o Dia Mundial da Alimentação de 16 de outubro de 2016 ao desperdício alimentar. Este dia assinalou, por assim dizer, o lançamento da nossa vasta campanha de sensibilização “Juntos contra o desperdício alimentar”.